Utilizamos cookies para tornar a sua visita ao nosso website mais agradável. Mais informação

Wolfoil Corporation

Os factos importantes sobre a LSPI

LSPI significa pré-ignição a baixa velocidade. Este problema limita a utilização da redução das dimensões dos motores por parte dos OEM. Leia os factos abaixo.

Technical Expertise

LSPI – o que significa

A LSPI ou pré-ignição a baixa velocidade ocorre aquando da combustão e pode causar danos consideráveis. Explicitamente, a combinação de combustível e ar entra em ignição prematuramente, provocando uma pressão extrema nos cilindros.

A LSPI pode, frequentemente, traduzir-se num motor ruidoso. No entanto, esta é apenas uma parte do problema, dado que a LSPI pode provocar danos significativos no motor. Por conseguinte, a LSPI é um dos mais graves problemas enfrentados pela tecnologia de motores atualmente.

Porque razão ocorre a LSPI?

Eis algumas informações: de modo a satisfazer os desejos a nível mundial de um consumo de combustível mais eficiente e um nível de emissões mais reduzido, os fabricantes de veículos produziram motores a gasolina com turbocompressor mais pequenos, também denominados de motores sobrealimentados. Estes motores podem funcionar a velocidades reduzidas e binário elevado e a sua densidade de potência superior e melhor eficiência cumprem os padrões definidos pelo mercado, bem como pela legislação introduzida em vários países.

A Ford e a GM lançaram motores com menos cilindros e de menor cilindrada, por exemplo, 1,0 l de cilindrada. Diz-se que o rendimento destes motores é semelhante ao dos seus motores de 1,6 l e quatro cilindros, mas com uma economia de combustível 20% superior e menos emissões de CO2. A extraordinária taxa de produção anual destes motores constitui um indicador do respetivo progresso. 

Contudo, têm surgido problemas nestes motores. Verificou-se o desenvolvimento da denominada LSPI ou pré-ignição a baixa velocidade, uma combustão prematura antes do processo habitual de combustão desencadeado pelas velas, que pode ser ouvida pelo condutor sob a forma de um ruído forte de batimento.

Sabe-se que a LSPI se desenvolve em motores mais pequenos. Porém, a causa exata deste fenómeno ainda não foi determinada. De acordo com uma teoria, entra uma gotícula de óleo na câmara de combustão através de uma folga entre o pistão e a parede do cilindro, onde se mistura com o combustível originando a combustão. Alternativamente, há quem assuma que os depósitos são responsáveis pela ignição. Provou-se que ambas as situações ocorrem, mas não são mutuamente exclusivas.

A LSPI pode provocar danos consideráveis e ruídos no motor. O lubrificante pode ajudar.

Quais são os efeitos da LSPI?

O ruído não é o único problema. A LSPI pode provocar graves danos no motor e muito rapidamente. Quando a LSPI ocorre, os pistões e as bielas encontram-se num movimento ascendente e estão especialmente suscetíveis a danos. Os anéis dos pistões podem ficar danificados ou, em casos mais extremos, partir, as bielas podem ficar torcidas e as velas de ignição também podem ser afetadas.

A LSPI limita a capacidade dos fabricantes de veículos de colocar os motores com turbocompressor a funcionar ao máximo desempenho, o que constitui um grande inconveniente e impede o progresso.

O que pode ser feito para resolver este problema?

Como se pode, então, a impedir a ocorrência da LSPI? A natureza prejudicial da LSPI e o respetivo comportamento inesperado representam um desafio para a investigação. Contudo, existem fortes motivos para acreditar que a composição dos lubrificantes também pode desempenhar um papel na contenção da LSPI. Os fornecedores de aditivos realizaram uma investigação inovadora a este nível.

Por exemplo: a probabilidade de ocorrência da LSPI parece aumentar com a utilização de óleos com um maior teor de cálcio. Por outro lado, a utilização de detergentes com base em magnésio e misturas de molibdénio não parece aumentar a probabilidade de LSPI, tendo sido mesmo demonstrado que reduz a sua ocorrência.

Solucionar o problema da LSPI não é tão simples como substituir um componente por outro. Cada componente realiza diversas ações e as alterações na composição afetam a qualidade do lubrificante de diferentes formas.

Prevenção da LSPI e como será expressa nas especificações

A indústria de lubrificantes continua a envidar esforços no sentido de produzir um teste adequado aos motores para medir, de forma eficaz, o efeito da composição dos lubrificantes na LSPI. O nosso principal objetivo é conceber tecnologias de lubrificação de última geração que ajudem a eliminar o problema da LSPI, permitindo que os OEM avancem no desenvolvimento dos respetivos motores com poupança de combustível e de baixas emissões.

A prevenção da LSPI já consta das especificações de óleo que vão ser introduzidas a breve prazo e espera-se que o ILSAC GF-6 inclua um teste ao motor da Ford que indica a redução da probabilidade de ocorrência da LSPI.

Resumo:

  • A LSPI ou pré-ignição a baixa velocidade ocorre aquando da combustão e é prejudicial para o motor.
  • Embora a natureza exata do problema seja difícil de identificar, sabe-se que a LSPI ocorre em motores mais pequenos.
  • Para além do ruído considerável decorrente deste problema, a LSPI pode ser destrutiva para o motor.
  • Existem sinais positivos de que a composição do lubrificante pode desempenhar um papel na contenção da LSPI.
  • Temos como objetivo lançar tecnologias de lubrificação avançadas para ajudar a reduzir a LSPI e, assim, permitir que os OEM aumentem a produção de motores com poupança de combustível e de baixas emissões.

tags: motores, inovação, lspi, pré-ignição a baixa velocidade

Produto na imagem: CHAMPION OEM SPECIFIC 5W30 C3

Um óleo de motor que melhora o desempenho e pode ser utilizado para realizar a manutenção a uma variedade de veículos diferentes? Sim, existe!

Saiba mais

Fluidos para lendas: uma pequena grande estrela

Pequeno, eficiente em termos de combustível e um dos líderes do tráfego urbano; é muito difícil imaginar as nossas estradas sem o Opel Corsa. Deixe-nos mostrar-lhe como a Champion ajuda estes citadinos a alcançar um estatuto lendário.

Saiba mais

Três tendências relacionadas com transmissões automáticas para as quais se deve preparar

Mais de metade dos novos carros de passageiros que entram nas nossas estradas estão equipados com sistemas de transmissão automática. Descubra como pode preparar a sua oficina para as oportunidades que se avizinham!

Saiba mais